Tribunal de Contas da União suspende ampliação do BPC

Telegram

O ministro Bruno Dantas, do Tribunal de Contas da União, suspendeu a ampliação do Benefício de Prestação Continuada aprovada pelo Congresso.

A medida traria impacto de R$ 20 bilhões por ano e de R$ 217 bi numa década.

Dantas, apadrinhado de Renan Calheiros, atendeu a um pedido do Ministério da Economia, que citou decisão de agosto do TCU que impede a execução de despesas sem previsão de receita.

Leia também: Como derrubar os mitos da esquerda com ajuda da história?

“Embora se trate de norma que, após a sua promulgação, entre no plano da existência e no plano da validade, não entra, ainda, no plano da eficácia, justamente por não atender aos regramentos previstos à espécie, condicionantes à implementação da nova despesa, os quais traduzem a própria ideia de responsabilidade fiscal” escreveu Dantas na decisão.

Leia AQUI a íntegra.

Comentários

  • Adolfo -

    Isso sim se chama harmonia republicana. Apesar do TCU ser vinclado ao Legislativo, tem autonomia pra barrar populismo barato e retaliação de legisladores sem carater.

  • ADALMO -

    Você primeiro.

  • ADALMO -

    Com a palavra o stf

Ler 48 comentários