TSE pagou 7 milhões por uma urna que não funciona?

Telegram

A equipe de Modesto Carvalhosa denunciou ontem que o TSE já pagou ao Instituto Flextronics mais de R$ 7 milhões pelo desenvolvimento de uma nova urna eletrônica com módulo de impressão.

Hoje, o TSE admitiu que o “projeto ainda não está maduro”. Ocorre que o contrato firmado por Gilmar Mendes com Jorge Suplicy Funaro, do Flextronics, é claro ao dizer que “nenhum pagamento” pode ser feito à contratada “enquanto pendente qualquer obrigação legal ou contratual”.

E ainda estabelece punições, que vão de advertência à rescisão contratual com imposição de multa de até 20% do valor do contrato. Se o Instituto Flextronics entregou um protótipo que não funciona, o TSE deveria ter testado antes.

O Antagonista pediu à assessoria do TSE acesso a todos os relatórios de fiscalização, execução financeira e produtos entregues pelo instituto. Vamos aguardar.

Comentários

  • X -

    GILMAR MENDES PARA PRESIDENTE ahahahahahah!!! Esse é dos bons já sabe como afanar.

  • CONGO -

    Só de escutar a palavra Maduro me dá arrepios! Kkkkk!!! Gilmarmatic tá se enrolando cada vez mais... Vai se enforcar sozinho! Tomara!

  • João -

    Leio O Antagonista diariamente desde 2015. A leitura está ficando cada vez mais fantástica. As notícias foram se cercando de anúncios. Primeiro, flores. Depois, mulheres lindas de biquini. Em seguida, os textos foram sendo partidos e intercalados por anúncios, com a instrução de que o assunto segue depois do anúncios, mas isso nem sempre é verdadeiro. Agora, toda vez que vou além da chamada inicial, sou obrigado a ver um anúncio sobre o Julgamento do Século, com a cara de Lula estampada, o que me obriga a fechar esse anúncio para ver o resto da matéria. É de enlouquecer!

Ler 72 comentários