Tudo é Lava Jato

A cúpula da Petros, que entregou ao amigo de Fernando Baiano um contrato para a gestão de R$ 450 milhões em ativos, foi apadrinhada por Carlos Gabas, o ministro-motoqueiro, segundo a ISTOÉ.

Gabas, como O Antagonista já publicou, é amicíssimo de Dércio Guedes de Souza, sócio de Alexandre Romano, o Chambinho, que confessou ter pago propina para Gabas.

Tais evidências só reforçam o entendimento de que a Pixuleco II não deveria ter sido fatiada. Tudo é Lava Jato.

Veja mais em:

Baiano, Lava Jato e a Pixuleco II

Exclusivo: Amigo de Baiano fechou contrato com a Petros

Baiano com vista para o mar

Baiano premia

Faça o primeiro comentário