Tudo sempre OK com Luiz Estevão

Só no Brasil existe um personagem como Luiz Estevão, ex-senador cassado e dono do Grupo Ok. Condenado em 2006 a 31 anos de prisão pelo desvio de mais de 30 milhões de reais na construção da sede do Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo – aquele do juiz Lalau, o seu cúmplice –, ele só foi preso para valer neste ano, depois que o STF entendeu que condenados em segunda instância deveriam ir para o xilindró.

O que o MP descobriu?

Que Luiz Estevão, por meio de uma empresa fantasma, mandou reformar a ala da Papuda onde ficaria.

“Estevão está preso hoje numa cela da ala de vulneráveis ao lado de Ramon Hollerbach e Henrique Pizzolato, ambos condenados no caso do mensalão. Ao contrário das celas comuns da Papuda – úmidas, lotadas, com fios elétricos à vista, paredes sem pintura e um buraco no chão servindo de privada – o local que abriga o trio é claro, limpo, tem mesas, estantes e televisão. O banheiro conta vaso de louça, cortina na área molhada e itens de limpeza disponíveis”, publica O Globo.

A direção da Papuda e o governo do Distrito Federal deveriam usufruir da cela reformada de Luiz Estevão.