UFRJ diz que plano de retirar da universidade gestão do museu é autoritário

A UFRJ reagiu ao plano de Michel Temer de retirar da universidade a gestão do Museu Nacional.

A reitoria da universidade disse, em nota, que “qualquer medida dedicada a retirar da UFRJ o Museu Nacional representaria ato arbitrário e autoritário contra a autonomia universitária e a comunidade científica do país”.

Segundo a instituição, o museu é indissociável da UFRJ e o quadro de docentes, pesquisadores e técnicos é “altamente qualificado e não poderia se submeter a uma organização social ou qualquer outra instituição que não seja a própria universidade”.

Comentários

  • Paulo -

    Dá-lhe mamadeira! A teta vai secar!!! É por isso estes escumalhas sorriem, fazem piadinhas e relativizam a tentativa de homicídio contra BOLSONARO. CANALHAS!!!

  • Sonia -

    Autoritário é recusar ajuda internacional (para garantir suas boquinhas, vermelhos) e deixar o Museu queimar. Estamos cheios dessa fala "politicamente correta". Fora daí. Já.

  • Marcello -

    O Museu Emílio Goeldi no Pará, instituição "irmã" do MN, faz parte do Min. Ciência & Tecnologia. Tb está com falta de verbas mas pelo menos a gestão é mais transparente. E lá tem portas co

Ler 223 comentários