‘Um advogado associado ao crime’

Ao receber a denúncia contra Roberto Teixeira, Sérgio Moro ressaltou que a condição de advogado “não o imuniza contra a imputação”, pois sua conduta não se enquadra na “relação cliente e advogado”.

“Não há imunidade quando o próprio advogado se envolve em ilícitos criminais, ainda que a título de assessoramento de seu cliente, havendo fundada suspeita no presente caso em relação às condutas de Roberto Teixeira.”

“O advogado não age como tal, ou seja, não age em defesa de seu cliente ou para prestar-lhe assistência jurídica, mas sim como associado ao crime.”

Faça o primeiro comentário