Um delegado transparente

O delegado da PF Marlon Cajado fez uma defesa lapidar do inquérito policial contra Lula.

Em documento enviado ao juiz Vallisney de Souza Oliveira e reproduzido pelo Estadão, ele disse:

“A instauração de novos inquéritos para apurar outras condutas ilícitas atribuíveis à organização criminosa, e até a participação de novos indivíduos à mesma não se trata de nenhuma ilegalidade. Entender de outra forma é assumir que a proposição de ação penal preclui a apuração de qualquer outro crime que possa ser atribuído a alguém, ou mesmo a invenção de uma forma extralegal de prescrição da pretensão punitiva do Estado com relação a outras condutas e outras pessoas, as quais podem ser processadas em nova ação penal se assim entender por bem o Ministério Público”.

Ele disse também que o inquérito policial é “inclusive uma garantia de mais transparência”.

Lula é oculto, mas temos a sorte de poder contar com um delegado transparente.

Faça o primeiro comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200