ACESSE

Um general "com a faca nos dentes"

Telegram

O Globo fez um ótimo retrato do general Mauro Sinnott Lopes, número 2 da missão militar no Rio de Janeiro.

Leia um trecho:

“Reservado e extremamente técnico. Assim os colegas militares definem o general de divisão Mauro Sinott Lopes, braço direito do general de Exército Walter Souza Braga Netto, interventor federal no Rio (…).

O general traz na bagagem a experiência de já ter comandado tropas em comunidades. Em 2014, foi um dos comandantes da Força de Pacificação do Complexo da Maré. Em setembro do ano passado, foi o coordenador das operações das Forças Armadas no Rio durante as operações de ocupação da Rocinha. Na época, deixou claro que prefere trabalhar com ações de longo prazo. E que acredita na tática de conquistar a confiança da população.

— Quando eu estava na Maré, um morador ligou para rádio e perguntou: general, e quando vocês forem embora, como vai ficar? Vai voltar tudo como era antes? Eu lembrei a ele o seguinte: sua pergunta está errada: Você deveria me perguntar: general, o que eu posso fazer agora para, quando a tropa sair, não voltar a ser o que era antes (…), afirmou na época.

É considerado um dos mais preparados oficiais do Exército. (…) Um dos cursos que mais lhe dá orgulho é o de Forças Especiais, os conhecidos FEs. São os militares que, no jargão militar, levam ‘a faca nos dentes’.”

 

Comentários

  • JB -

    GENERAL: "Eu lembrei a ele o seguinte: sua pergunta está errada: Você deveria me perguntar: 'general, o que eu posso fazer agora para, quando a tropa sair, não voltar a ser o que era antes'?" . É o fim da picada! Isso é ter faca nos dentes? Desculpa, mas isto é simplesmente fugir da responsabilidade. Escuta aqui General: o que um pobre morador, proibido de ter armas, levando uma vida de refém dos criminosos, poderia FAZER para que a situação não voltasse a ser como antes do exército chegar? Diga aí, "faca nos dentes"!

  • maria -

    O General Heleno deixou bem claro que as FFAA obedecem a Constituição, e não políticos. Ou seja, de acordo com a Constituição, obedecem A FIGURA do presidente da república, e não a pessoa de Temer - por isso, nada podem fazer em relação ao fato das ordens partirem de um corrupto. Dito isso, para as FFAA missão dada é missão cumprida. Se a missão for abater bandidos, assim o farão. Mas se a missão for apenas "assustar" a badidagem até as eleições, idem.

  • Recordar -

    Guardarei esse post para o fim do ano ao final da intervenção quando a ORCRIM do Rio conseguir se re-eleger. Parece que muita gente não ficou feliz com o diversionismo da copa-das-copas edas olimpiadas.

Ler 39 comentários