"Um monumento às leis que foram escritas para fazer mal ao Brasil"

José Roberto Guzzo resume a sanha “garantista” pelo “trânsito em julgado”:

“O veto à prisão ‘na segunda instância’ é uma ameaça ao brasileiro que cumpre a lei. Não é um ‘direito’, como dizem advogados e demais sábios da ciência jurídica ─ o direito, respeitado em todas as democracias, à ‘presunção de inocência’. Inocência como, se o indivíduo já foi condenado duas vezes? Teve todo o direito de se defender, sobretudo se conta com milhões. O acusador teve de apresentar provas, e o juiz teve de considerar que as provas eram baseadas em fatos. O que há na vida real, isso sim, é uma violação do direito que as pessoas têm de contar com punição para os criminosos que as agrediram ─ por exemplo, roubando o dinheiro que pagam em impostos, ou o patrimônio que possuem legalmente nas empresas estatais.
Os ‘garantistas’, que defendem em latim essas aberrações, garantem apenas a impunidade. Utilizam dúvidas que existem na Constituição e que podem ser mal interpretadas ─ só foram colocadas ali, aliás, com o exato propósito de serem mal interpretadas. Constroem, esses heróis da liberdade, um monumento às leis que foram escritas para fazer mal ao Brasil e aos brasileiros.”

Comentários

  • GATO -

    Fiz um comentário sobre careca na Constituição, não foi publicado. Esqueci o conselho da minha avó, em casa de alopécico não falar em pente.

  • josé -

    mantra mentiroso, são fãs da célebre frase "uma mentira dita mil vezes pode virar verdade" e vão gritando centenas de frases por dia, é uma espécie de primeiro mandamento de certas consciências muito "religiosas"

  • Aristocratas -

    J. R. Guzzo: um dos mais perfeitos escritores de política do Brasil, em forma, conteúdo, raciocínio impecável, e inesquecíveis finíssimas ironias... Um mestre !

Ler 58 comentários