“Um ponto positivo”

João Alberto de Souza, presidente do Conselho de Ética do Senado, sobre o retorno de Aécio Neves ao mandato parlamentar:

“A decisão do Supremo nada tem a ver com o processo do Conselho e mostra a independência dos poderes. Mas foi um ponto positivo o Supremo, na origem , reconhecer que o afastamento do mandato foi indevido por não ter previsão constitucional”, comentou ele, registrou O Globo.

Ele pretende se reunir amanhã com Eunício Oliveira para decidir a data da sessão do colegiado que vai analisar o recurso pela cassação de Aécio.