Uma causa maior

Carlos Sampaio foi perguntado se o PSDB voltaria a apoiar Eduardo Cunha caso ele deferisse o pedido de impeachment.

Ele respondeu:

“Em hipótese alguma. E quero ser cobrado por isso. Se deferir, estará cumprindo sua missão. Ele vai ter de se servir de muitos técnicos e muitos pareceres e se debruçar muito para indeferir (o pedido de impeachment). Continuamos extremamente confiantes em relação ao impeachment. Temos uma causa maior, nobre, para nossos filhos e netos, que é o impeachment. Continuaremos perseguindo este caminho não como uma luta contra Dilma, mas em defesa do país. Mas não é por isso que vamos transigir com aquilo que não é ético. O Conselho de Ética não é balcão de negócio”.

O Antagonista concorda com Carlos Sampaio. Mas o PSDB não pode votar contra Eduardo Cunha e, ao mesmo tempo, votar a favor das medidas fiscais de Dilma Rousseff, como prometeu fazer Bruno Araújo, líder da minoria na Câmara.

“Não vamos transigir com aquilo que não é ético”.