Uma força-tarefa cruzada

Uma força-tarefa cruzada
Foto: Juíza Cláudia Andrade (redes sociais)

A juíza Cláudia Silvia de Andrade Freitas, namorada de Juscelino Sarkis, atuava na 2ª Vara Criminal da Comarca de Águas Lindas (Goiás) quando foi convocada por Gilmar Mendes para integrar seu gabinete no comando do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em 2017.

Não voltou mais para sua comarca de origem, sendo depois designada para o gabinete de João Otávio de Noronha no Superior Tribunal de Justiça. No ano passado, assumiu cargo criado por Dias Toffoli no Conselho Nacional de Justiça.

“Ele me requisitou como juíza auxiliar da presidência do CNJ, mas para assumir o papel de assessora interinstitucional do CNJ no CNMP. É uma função nova, criada em 2019. Sou a primeira juíza do Brasil a assumir essa função”, disse Cláudia, numa live da Associação dos Magistrados do Mato Grosso do Sul, seu estado de origem.

Segundo ela, a vaga faz parte de uma “força-tarefa cruzada entre Ministério Público e o Poder Judiciário”, no âmbito dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, e atua em questões ambientais, Covid-19, entre outras.

Na live, ela também contou como foi parar em Brasília, com apenas “seis anos de magistratura”, para ser juíza ouvidora do Tribunal Superior Eleitoral.

“Aquilo para mim foi uma coisa assim fora da realidade, estratosférica. Fiquei tão emocionada que lembro de ter olhado para o ministro com toda a reverência: ‘Eu estudava, lia, escrevia copiava acordão do senhor, mas nem imaginava que um dia estaria trabalhando aqui para o senhor’.”

Como revelou Crusoé na edição de hoje, Cláudia Andrade trabalha nos bastidores para ser nomeada conselheira do CNMP, podendo vir a analisar representações propostas por Flávio Bolsonaro contra os promotores que o investigaram no Rio.

O empresário Juscelino Sarkis, namorado da magistrada, foi quem vendeu a mansão de R$ 6 milhões para o filho 01 do presidente da Republica, como revelou O Antagonista.

 

Portaria de convocação da juíza Cláudia Andrade assinada por Gilmar Mendes

 

 

Leia mais: O furo de reportagem de O Antagonista sobre a mansão comprada por Flávio Bolsonaro em Brasília é dissecado na edição desta semana da Crusoé
Mais notícias
TOPO