Uma rede planetária de corrupção e lavagem

Ontem, mencionamos aqui o papel do escritório Mossack Fonseca, que tem sede no Panamá, em diversos esquemas de lavagem de dinheiro envolvendo ditadores e bilionários do petroléo.

A força-tarefa da Lava Jato esquematizou isso num mapa global, que mostra conexões na Síria, na Líbia, em Israel, Ucrânia, Zimbábue, Guiné e até Argentina.

Também expõe vínculos com escândalos anteriores no Brasil, como o das contas CC5, o Caso Alstom e a Operação Ararath.

Faça o primeiro comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200