Uma semana após ‘efeito placebo’, Bolsonaro volta a defender a cloroquina

Uma semana após ‘efeito placebo’, Bolsonaro volta a defender a cloroquina
Reprodução/TV Brasil

Uma semana após ter admitido um ‘efeito placebo’ da hidroxicloroquina, o presidente Jair Bolsonaro voltou a defender a droga como remédio contra a Covid-19. Além disso, Bolsonaro criticou novamente o isolamento social e, sem apresentar números, disse que suicídios no país aumentaram.

Bolsonaro defendeu a cloroquina após o jornal Folha de S.Paulo revelar que o Ministério da Saúde usou a Fiocruz para produzir 4 milhões de comprimidos da droga. “Existe o tratamento off label (fora da bula) e o pessoal não quer entender isso aí. Tem muito médico que usa a hidroxicloroquina, ivermectina, etc, para o tratamento precoce. Então houve um consumo maior disso. Eu tomei. Qual o problema?”, disse Bolsonaro.

Em sua live, Bolsonaro também criticou o isolamento social, alegando que a medida comprometeu a economia. “Teremos quantidade maior de suicídios no Brasil, por causa da política do ‘fique em casa’. Lamentamos a morte, lamentamos… mas temos que viver”, disse ele.

Leia mais: A causa desse desgoverno é política, como mostra a Crusoé desta semana.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO