Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Urgente: Moraes determina prisão preventiva de Allan dos Santos e extradição

Ministro expediu mandado de prisão há 15 dias e pediu a inclusão do blogueiro na lista da Interpol, para que ele seja capturado nos EUA e entregue ao Brasil
Urgente: Moraes determina prisão preventiva de Allan dos Santos e extradição
Reprodução

Alexandre de Moraes determinou a prisão preventiva do blogueiro bolsonarista Allan dos Santos, com a inclusão de seu nome na ‘difusão vermelha’ da Interpol, a lista internacional de procurados. O Antagonista confirmou a ordem do ministro, emitida a pedido da PF e tomada há 15 dias.

O objetivo é que o blogueiro seja capturado e entregue ao Brasil.

O ministro do Supremo também pediu ao Ministério da Justiça que, assim que ele for detido, inicie imediatamente o processo de extradição. Allan dos Santos está nos Estados Unidos, com visto de turista vencido desde fevereiro.

Allan é investigado no Supremo em dois inquéritos: o que apura a divulgação de fake news e ataques a integrantes da Corte e também no que identificou a atuação de uma milícia digital que trabalha contra a democracia e as instituições no país.

Em sua decisão, Moraes afirma que o blogueiro “deixou o país diante das investigações e na tentativa de continuar atuando”. Suas condutas são classificadas como “de elevado grau de periculosidade”, e que elas têm a intenção de “fazer dinheiro”.

O ministro diz que, nos EUA, Allan dos Santos se vinculou a pessoas envolvidas no ataque ao Capitólio em janeiro. 

“Como se vê, a utilização de seu canal nas redes sociais, usado como verdadeiro escudo protetivo para a prática de atividades ilícitas, aliado ao fato de ter se ausentado do território nacional durante as investigações, passando a perpetrar suas condutas criminosas dos Estados Unidos da América, tem conferido a Allan Lopes dos Santos uma verdadeira cláusula de indenidade penal para a manutenção do cometimento dos crimes já indicados pela Polícia Federal, não demonstrando o investigado qualquer restrição em propagar os seus discursos criminosos.”

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO