Urgente: Os pixulecos de Gleisi Hoffmann

A Operação Pixuleco II já havia descoberto o elo do advogado Guilherme Gonçalves com a senadora Gleisi Hoffmann. Agora, a PF apreendeu planilhas que indicam repasses de Gonçalves para Gleisi e familiares. O dinheiro era repassado pela Consist, que firmou contrato com o Ministério do Planejamento na gestão de Paulo Bernardo, o marido de Gleisi.

Nas anotações, constam pagamentos para “PT, PB, Gleisi”. Também houve repasses para o motorista da senadora petista, que, é bom lembrar, foi ministra-chefe da Casa Civil de Dilma.

“Consta anotação de que, do pagamento de cinquenta mil reais de honorários pela Consist a Guilherme em 29/09/2011, ele teria acertado com o ex-ministro Paulo Bernardo, marido de Gleisi Hoffmann, que ficaria, desta feita, com todo o montante”, escreve Sergio Moro em despacho. Segundo as investigações, 9,6% do faturamento líquido da Consist foi repassada por Alexandre Romano a Guilherme Gonçalves, “que, por sua vez, utilizou esses mesmos recursos para pagamentos associados à senadora”, anota Moro.

Diante dos indícios, o juiz enviou a investigação da Pixuleco II para o STF.

Faça o primeiro comentário