ACESSE

URGENTE: PGR recorre da homologação da delação de Sérgio Cabral

Telegram

O procurador-geral da República, Augusto Aras, recorreu contra a homologação do acordo de delação premiada firmado por Sérgio Cabral com a Polícia Federal. Para a PGR, o ex-governador do Rio continua escondendo o paradeiro de valores recebidos de forma ilícita ao longo do funcionamento do esquema criminoso.

Segundo o chefe do MPF, a delação não pode ser confirmada pela Justiça porque “inúmeros elementos de prova” mostram que o ex-governador age para esconder o produto do crime. Isso, diz o MPF, viola a “a boa-fé objetiva”, condição necessária à elaboração de acordos de colaboração.

Agora, cabe ao ministro Edson Fachin decidir se rever sua decisão monocrática que homologou o acordo de Cabral ou se submete o caso ao plenário da Corte.

Aras apontou ainda ao STF que é inconciliável que alguém ostente a condição de um colaborador ao mesmo tempo que continua ocultando produto do crime. O PGR argumenta que, ao fechar um acordo de colaboração, o investigado confessa práticas criminosas, compromete-se a cessá-las, a reparar o mal que causou, além de passar a agir de acordo com a lei e a atuar em colaboração com o Estado para a elucidação dos crimes e a recuperação dos danos deles decorrentes.

Antes da homologação da delação, Aras já havia se manifestado ao STF contra a validação do acordo.

Basta de atritos com Bolsonaro. LEIA AQUI

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 86 comentários