Urnas eletrônicas são “inauditáveis”

Como O Antagonista informou ontem à noite, o PSDB divulgou hoje o relatório da auditoria sobre as eleições de 2014 com parecer inconclusivo, pois não foi possível analisar a lisura do processo eleitoral.

Restou a recomendação de dez medidas, entre elas a implantação do voto impresso.

“Sem a regulamentação do voto impresso, a transparência das eleições será comprometida, pois, como dito anteriormente, o respeito a um sistema democrático se dá quando adotamos mecanismos de verificação que tranquilizem o eleitor quanto a lisura do processo eleitoral como um todo”, diz o relatório de 223 páginas, reproduzido pelo Estadão.

De acordo com Carlos Sampaio, que foi o coordenador jurídico da campanha de Aécio Neves, o sistema das urnas é “inauditável”. O TSE se recusou a disponibilizar dados eleitorais essenciais para a auditoria sob o argumento de que eles eram sigilosos. Sampaio espera ser possível derrubar o veto de Dilma à emenda que previa a impressão do voto.

Dentre outras recomendações, está a de que as eleições possam ser auditadas por órgãos independentes e desvinculados do TSE, como OAB e MP, e fiscais dos partidos. O relatório sugere ainda testes por amostragem das urnas eletrônicas no dia da votação.

Faça o primeiro comentário