ACESSE

Uso de snipers para abater quem porta fuzil está previsto em projeto no Senado

Telegram

Um projeto de lei apresentado no ano passado pelo senador José Medeiros já previa a ideia de “presumir a legítima defesa quando o agente de segurança pública mata ou lesiona quem porta ilegal e ostensivamente arma de fogo de uso restrito”.

O uso de atiradores de elite contra criminosos com fuzil não está previsto na lei hoje, mas foi defendido pelo governador eleito do Rio, Wilson Witzel.

No Senado, a proposta aguarda votação do parecer favorável na CCJ.

Eis a explicação da ementa:

“Cria presunção jurídica de legítima defesa de terceiros, ou legítima defesa da sociedade, quando o agente de segurança pública mata ou lesiona quem porta ilegalmente arma de fogo de uso restrito, representando perigo direto e iminente à integridade física das pessoas próximas.”

Bolsonaro presidente: você precisa entender o que isso significa. Leia AQUI

Comentários

  • Giusti -

    Essa equação tem d ser invertida urgente. A pergunta deveria ser: Qual lei proíbe isso? As leis têm só d limitar. O q a lei não proíbe não precisa d lei p permitir. Isso seria o correto.

  • Osvaldo -

    Não tem nenhum cabimento, essa exposição, pessoas exibindo fuzis. Eles sabem que são proibidas se não querem morrer, só não portar...

  • Alckimin -

    Isso seria uma coisa óbvia caso o marxismo cultural não tivesse invertido toda a ordem moral da sociedade.

Ler 60 comentários