Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Vacina mencionada por Wajngarten não aparece em documento assinado em Israel

Em depoimento na CPI da Covid, o ex-secretário de Comunicação mencionou o imunizante como um dos pontos tratados na viagem
Vacina mencionada por Wajngarten não aparece em documento assinado em Israel
Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Na viagem que fez a Israel, a comitiva brasileira comandada pelo então chanceler Ernesto Araújo assinou duas cartas de intenções: uma com a empresa privada que desenvolve o tal “spray milagroso” e outra com o Hospital Hadassah, que produz uma vacina contra a Covid.

Em depoimento na CPI da Covid, o ex-secretário de Comunicação da Presidência Fabio Wajngarten mencionou o imunizante como um dos pontos tratados na viagem.

Documento assinado pelo governo e obtido pela Crusoé, porém, mostra que não há uma parceria específica relacionada à vacina. O tema é tratado de maneira genérica na carta assinada em Israel.

Como publicamos nesta sexta-feira, a viagem foi usada ainda pelo governo federal para discutir a participação do país em um projeto de desenvolvimento e envio de um módulo para a Lua.

Leia aqui a íntegra da nota. Assine a Crusoé e apoie o jornalismo independente.

Leia mais: Assine a Crusoé, a revista que tem coragem de fiscalizar TODOS os poderes
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO