Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Vacinação deslancha para militares de Brasília, mas patina para moradores

Militares da ativa de 43 anos de idade já foram convocados para tomar vacina, enquanto a imunização de pessoas com idade entre 50 e 59 anos tem sido adiada
Vacinação deslancha para militares de Brasília, mas patina para moradores
Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

Enquanto o Exército já convocou militares da ativa de 43 anos de idade, com atuação em Brasília, para serem vacinados contra a Covid, o ritmo de imunização de moradores do Distrito Federal anda mais lento.

A vacinação de pessoas com idade entre 50 e 59 anos tem sido adiada por causa razão da falta de doses.

Já o militares com 50 anos ou menos e que atuam administrativamente no Quartel-General do Exército, a sede da Força em Brasília, estão sendo vacinados desde o fim de maio.

Além do QG, foram chamados integrantes do Exército que atuam no Ministério da Defesa e no Gabinete de Segurança Institucional, vinculado à Presidência da República, diz a Folha.

As regras do Ministério da Saúde dão prioridade apenas para militares da linha de frente, que inclui trabalhadores que atuam no atendimento ou transporte de pacientes, no resgate ou atendimento pré-hospitalar, em ações de vacinação e em ações de implantação e monitoramento de medidas de distanciamento social.

A 11ª pauta de distribuição de imunizantes, de 31 de março, cita que “os demais trabalhadores da segurança pública e Forças Armadas, que não se enquadrarem nas atividades descritas, deverão ser vacinados de acordo com o andamento da campanha nacional de vacinação contra a Covid, segundo o ordenamento descrito no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid”. 

Em nota, a Secretaria de Saúde do Distrito Federal afirma que o Ministério da Saúde contempla as Forças Armadas como grupo prioritário. O órgão não respondeu aos questionamentos sobre as doses já distribuídas aos militares.

Segundo a Folha, o Ministério da Defesa e Exército foram questionados em três oportunidades sobre o assunto e não se pronunciaram.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO