​Vai demorar, ministra

Cármen Lúcia foi sozinha – sem seguranças – a uma escola de Belo Horizonte para votar.

Entrou na fila e disse ao UOL:

“Sou favorável ao voto obrigatório até que a educação no Brasil garanta que todo mundo tenha suficiente informação, para poder se posicionar com liberdade absoluta.”

Faça o primeiro comentário