Validade de testes foi dada em 'situação emergencial' e pode ser estendida, diz Saúde

Validade de testes foi dada em situação emergencial e pode ser estendida, diz Saúde
FOTO MINISTERIO DA SAUDE

O secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Medeiros, afirmou há pouco que o Ministério da Saúde monitorava a validade dos testes RT-PCR antes de ser noticiado que 6,8 milhões de unidades vencem em dezembro e janeiro.

Em audiência na Câmara, Medeiros afirmou que a validade atual, de 8 meses, foi estabelecida pela Anvisa em “situação emergencial”. Por isso, em 3 de novembro, a Saúde solicitou à Opas a revisão da validade dos testes.

“Nós começamos essa discussão com a empresa porque a gente tinha uma estratégia de distribuição e testagem pelo país e precisávamos do estudo de estabilidade, na perspectiva de que o primeiro prazo de validade da Anvisa, de maneira eficiente, tinha um caráter provisório. Entenda o que estou falando: [a validade] foi dada por uma situação emergencial.”

E acrescentou:

“Com essa perspectiva, enviamos no dia 3 de novembro um ofício à Opas solicitando que ela providenciasse a extensão da validade dos testes, porque sabíamos que esse estudo já era realizado pela empresa. Nós não fomos pautados pela imprensa, porque a notícia veio à tona no último domingo. A gente já tinha mandado bem anteriormente o pedido, porque sabíamos que a empresa estava realizando os estudos.”

Leia mais: Quem acredita em “vacina do Doria” ou “vacina do Bolsonaro” precisa abrir os olhos.
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 51 comentários
TOPO