Vallisney: “Mário Celso e Joesley cooptaram Petros e Funcef”

No despacho da segunda fase da Operação Greenfield, obtido por O Antagonista, o juiz Vallisney de Oliveira ressalta que os investigados Mário Celso Lopes e Joesley Batista “não tinham à época da participação dos fundos o capital necessário para investimento”.

“Por isso cooptaram a Petros e a Funcef no vultuoso investimento”, escreve, em referência aos 550 milhões de reais despejados no negócio.

E mais:

“Como descreve o MPF, os valores de mais de quinhentos milhões investidos pelos fundos seria um valor muito superior ao que possuía a MCL e a J&F, tendo havido irregularidade na avaliação superior a um bilhão de reais no investimento pela empresa Vitória Asset, que tem no FIP Eldorado a participação de 0,25%, o que denota clara irregularidade, sem embargo de que o valor a que chegou essa avaliadora e investidora foi muito e bastante superior às avaliações contratadas pela própria Funcef e por outras empresas avaliadoras, tendo havido possível ilicitude nessa valuation.”

200