"Vamos eleger brincando o presidente"

A Polícia Federal, na representação da Operação Registro Espúrio — a cuja íntegra O Antagonista teve acesso –, reforça os indícios de que o investigado Roberto Jefferson, presidente do PTB, usava sua cota de influência no Ministério do Trabalho para “buscar apoio que pudesse se traduzir em votos” — o ex-deputado, delator do mensalão petista, quer voltar à Câmara, já tendo se declarado pré-candidato por São Paulo.

No documento, a PF transcreve conversas, via aplicativo de mensagens, entre Norberto Paulo de Oliveira Martins, primeiro-secretário-geral do PTB, e Renato Araújo Júnior, ex-coordenador-geral de Registro Sindical.

Em 6 de fevereiro de 2017, Norberto questiona Renato sobre novidades no andamento de um processo específico. Renato responde que não finalizou a nota técnica, acrescentando que o ato deve ser bem fundamentado “para que nada seja desfeito judicialmente”.

É quando, como revelamos com exclusividade no dia da operação, Renato reitera “disposição para priorizar os casos do presidente”, referindo-se a Roberto Jefferson. E diz que eles podem “coletar muitas informações de sindicatos que podem ajudar nas eleições”.

Em outra conversa entre os dois, em 22 de fevereiro também do ano passado, e divulgada agora, Renato vai mais longe: afirma a Norberto que eles vão “eleger brincando o presidente”, referindo-se à eleição de Bob Jeff para o cargo de deputado federal.

Comentários

  • Fernando -

    O cara ja passou uma temporada na cadeia, não tem mais cura.

  • José -

    E a indignidade aumenta dia a dia. Ou os políticos estão se fazendo de sonsos, ou estão achando que o povo está sendo levado na flauta. Essa indignidade não vingará para sempre. Não é à toa que as pessoas estão renegando a política. Cuidado! Se não mudarem esse estado de coisas, a consequência mais provável será a rebelião popular.

  • JCV -

    Agora qualquer notícia que o Antagonista postar, em tom de indignação, vira sinônimo de crime? Essa era a tática dos bogs petralhas. Realmente vocês viraram um folhetim.

Ler 21 comentários