"Vamos inventar uma grande jabuticabeira", diz Gilmar contra suspensão de liminares de ministros

Gilmar Mendes disse ser “manifestamente incabível” a apresentação de pedidos ao presidente do STF para suspender liminares de outros ministros da Corte.

“Se formos estender essa competência que se reconheceu ao presidente do STF aos presidentes de tribunais de justiça, ou ao presidente do STJ, ou aos presidentes dos TRFs, nós vamos inventar uma grande jabuticabeira. Vamos fazer uma grande confusão!”, disse Gilmar Mendes.

Assim como Ricardo Lewandowski, ele disse que, para reverter a soltura de André do Rap, a PGR deveria ter apresentado recurso contra a liminar de Marco Aurélio, que seria julgado na Primeira Turma do STF.

A suspensão de liminar, disse Gilmar, é proferida pelo presidente do STF para decisões de instâncias inferiores, não para decisões dos ministros da própria Corte.

Mais cedo, Gilmar disse que o habeas corpus do traficante sequer deveria ter sido encaminhado a Marco Aurélio, e sim a Rosa Weber, relatora da Operação Oversea.

“Eu compreendo até, diante de todas as peripécias, a angústia do procurador-geral. Como se diz na minha terra, para quem está rodando, qualquer folha é galho, se diz lá na linguagem pantaneira”, ironizou.

Leia mais: O fim do "Jardim do Éden" no STF: vai ficar mais difícil para os réus da Lava Jato
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 77 comentários
TOPO