"Vamos parar de frescura"

“Vamos parar de frescura”
Foto: Jonas Oliveira/Ministério da Saúde

Antes de Jair Bolsonaro revogar o decreto que autorizava estudos para conceder as unidades básicas de saúde à iniciativa privada, o deputado Ricardo Barros, líder do governo na Câmara, havia dito ao Estadão:

“Isso já está presente há anos e anos no SUS, o decreto é só para organizar. Vamos parar de frescura. É como ocorre com as filantrópicas, as OSs. Não são instituições privadas?”

Leia mais: Moro não perdeu o alvo: o combate ao crime, assunto da sua coluna na edição mais recente da Crusoé.
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 37 comentários
TOPO