“Vantagem pessoal” (2)

Casos como o da recepcionista do tribunal da Bahia só reforçam a necessidade de uma reforma profunda no Judiciário. Para começar, o CNJ deveria divulgar a lista de quantos magistrados estão atualmente afastados de suas funções, mas recebendo salário.

Muitos deles foram aposentados compulsoriamente por envolvimento em crimes, dos quais o mais comum é a venda de sentença judicial. Garantir aposentadoria a magistrados criminosos é um absurdo completo, além de configurar enriquecimento sem causa.

Faça o primeiro comentário