ACESSE

"Vão deletar perfis de quem desejou a morte do presidente?", pergunta deputado do PSL

Telegram

Anderson Moraes, deputado estadual do PSL do Rio de Janeiro, divulgou nota confirmando que o Facebook excluiu a conta de um de seus funcionários.

“Tenho um perfil verificado, que não sofreu bloqueio ou qualquer aviso de ter violado qualquer regra da rede. Mas excluíram a conta de uma pessoa que trabalha no gabinete, uma pessoa com perfil real, não é falsa. A remoção da conta foi absurda e arbitrária, porque postava de acordo com ideologia e aquilo que acreditava.”

O Facebook, como noticiamos, derrubou hoje uma rede com, ao todo, 88 contas, páginas e grupos do próprio Facebook e do Instagram ligados a funcionários dos gabinetes de Jair Bolsonaro, filhos e seus aliados.

Segundo o próprio Facebook, entre esses aliados está o deputado estadual Anderson Moraes.

“O Facebook em nenhum momento apontou o que estava em desacordo com as regras. Qual motivo excluíram? Falam em disseminação de ódio, mas será que também vão deletar perfis de quem desejou a morte do presidente? O governo Bolsonaro foi eleito com forte apoio nas redes sociais, perfis livres. Querem tolher a principal ferramenta da direita de fazer política. Estão atentando contra a liberdade de expressão e isso contraria princípios democráticos”, diz outro trecho da nota divulgada pelo parlamentar.

Leia mais: Acesse Crusoé e O Antagonista+ DE GRAÇA por 15 dias. Clique aqui

Comentários

  • Edelson -

    COMO DEPUTADO, PAGO PELO PAGADOR DE IMPOSTOS, QUAL FOI SUA PRODUÇÃO NESSE UM ANO E MEIO DE MANDATO DEPUTADO? A RESPOSTA E: ZERO!!!

  • Demerval -

    Difusor de mentiira e ódio, agora vêm dá uma de democrático.

  • Fernando -

    Desejar a morte de alguém já é prova de imaturidade moral, social e legal. Mas é um fato de difícil prevenção. Já a divulgação de material falso implica crime grave pela repercussão sobre a sociedade.

Ler 55 comentários