A ‘vaquinha’ gorda de Fernando Pimentel

Fernando Pimentel promoveu na quinta-feira passada um jantar de arrecadação para sua campanha à reeleição no governo de Minas, relata Lauro Jardim.

Segundo o colunista de O Globo, “os ocupantes de cargos comissionados em estatais foram constrangidos a comprar convites cujos valores variavam de R$ 500 até R$ 20 mil”.

Os comissionados já recebiam os convites para comprar com os valores marcados. “Vaquinha” gorda é isso aí.

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

  1. Achacar de todas as maneiras ….As estatais, mal administradas , são minas de ouro para megalomaníacos se perpetuarem no pode usando esse tipo de estratégia manjado do toma cá då lá

Ler mais 22 comentários
  1. Achacar de todas as maneiras ….As estatais, mal administradas , são minas de ouro para megalomaníacos se perpetuarem no pode usando esse tipo de estratégia manjado do toma cá då lá

  2. É a cobrança do vizimo, tudo muito democrático, com nosso dinheiro, pois eles tem como tirar de fornecedores, prestadores de serviço.Quem trabalha duro não tem tempo, grana para ficar fazendo vacain.

  3. tem que se humilhar, mesmo! não é competente para chegar a dirigente, então aguenta o tranco para ser pau mandado de estatal e em época de campanha, bota a mão no bolso. Mas se a PF pegar, abra o bico

  4. Enquanto isso o IPSEMG desconta todos os meses a contribuiçao nos salários do funcionalismo , na ativa e aposentados, e os deixa todos, sem atendimento por falta de repasse do governo.

  5. Esse achaque explica e não JUSTIFICA o NÃO pagamento, em dia, dos servidores do estado de Minas lotados nas camadas inferiores da burocracia estatal, nela inclusos os professores, médicos e soldados.

  6. Pela lógica do toma-lá-dá-cá, está certo. Cargo comissionado é isso! Essa patota não se constrange e ajoelha para tocar flauta sempre que convocada pelo pistolão. Tem que pagar a fatura da mamata!

  7. Enquanto PIlantrel banca jantares com diheiro público, os funcionários públicos de Minas continuam com o salário atrasado e parcelado. E o canalha quer ser reeleito. Só com urna eletrônica fraudada.