Variantes "são muito mais fortes" e respondem por 52% dos casos em São Paulo

Variantes “são muito mais fortes” e respondem por 52% dos casos em São Paulo
Imagem: Fusion Medical Animation/Unsplash

O secretário de Saúde da cidade de São Paulo, Edson Aparecido dos Santos, disse há pouco à GloboNews que as variantes do coronavírus representaram 52% dos casos de Covid em março.

Os estudos foram feitos em parceria com o Instituto de Medicina Tropical da USP. Entre as variantes em circulação na capital paulista, a predominante é a P1, de Manaus, que responde por 64,4% desses casos.

O secretário confirmou que os mais jovens estão sendo mais infectados pelas variantes.

“Nos resultados, observamos que as pessoas mais jovens estão sendo mais infectadas pelas variantes. Analisamos que as pessoas que se infectaram por elas estão na faixa etária entre 20 a 54 anos.”

Ainda segundo o secretário, 35% das pessoas que procuram atendimento médico com essas variantes morrem.

Essas mortes acontecem porque as variantes são muito mais fortes e, pelo fato de serem pessoas mais jovens, [esses pacientes] demoram a procurar o sistema de saúde. Quando chegam aos hospitais, já estão muito mal. Por isso a Secretaria de Saúde está se dedicando na operação dos tratamentos intensivos desses casos, para evitar esses óbitos.”

Leia mais: Assine a Crusoé, a revista que não tem medo de apontar os verdadeiros culpados pelas mazelas brasileiras.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO