Vazamento visa estancar fiscalizações da Receita sobre autoridades, dizem auditores

As duas principais entidades representativas de auditores da Receita condenaram, em nota, vazamentos de fiscalizações feitas pelo órgão sobre autoridades.

Um dos alvos foi o ministro Gilmar Mendes, que pediu uma investigação sobre servidores do órgão.

O Sindifisco e a Unafisco dizem que o trabalho da Receita sobre “pessoas politicamente expostas” é “impessoal e técnico”, “sério e criterioso”, mas os vazamentos “parecem ter o caráter de criar uma crise institucional na Receita Federal, de forma a impedir o avanço dos trabalhos no órgão”.

“O autor desses vazamentos parece também ter três objetivos:
• constranger a Receita Federal, um dos alicerces da Operação Lava jato no combate à sonegação, à lavagem de dinheiro e à corrupção;
• desmoralizar a Equipe Especial de Programação de Combate a Fraudes Tributárias (EEP Fraude), grupo criado no Fisco para apurar possíveis irregularidades tributárias envolvendo agentes públicos; e
• estancar as fiscalizações de Pessoas Politicamente Expostas possivelmente envolvidas em crimes contra ordem tributária e outros.”

“A seleção de 134 contribuintes pela EEP Fraude é produto de um trabalho sério e criterioso, e sua divulgação interessa apenas àqueles que querem inviabilizar a fiscalização. Mais uma vez tentam fazer espuma e cortina de fumaça para desviar a atenção do mérito.”

Comentários

  • IVAN -

    Vazamentos propositais para causar constrangimento. Investiguem direito.

  • Carlos -

    Fui prejudicado pela Ministra do STJ, que está, conforme publicação em jornais, sendo investigada por ocultação de patrimônio e rendimentos. Em um processo contra a Cia Aliança do Brasil. Con

  • Sival -

    Confio muito no poder do Moro, será que ele pode dar um pitaco nessa maracutaia e desarrumar a bandido beiçudo ?

Ler 84 comentários