Vice de Aras volta a criticar modelo de forças-tarefa para combate à corrupção

No despacho que autorizou a prorrogação da Lava Jato no Paraná, o vice-procurador-geral, Humberto Jacques de Medeiros, repetiu críticas que fez, em julho, ao renovar a força-tarefa da Greenfield. Para ele, o atual modelo de formação das equipes é precário.

Afirmou que os procuradores designados não gozam de inamovibilidade e sempre dependem de ato do procurador-geral da República para continuarem na força-tarefa. E registrou as queixas de unidades do Ministério Público Federal que cedem seus membros para a força-tarefa.

“Se instala um clima organizacional de desigualdade de tratamento entre preteridos e privilegiados, centro de excelência e unidades em carência”, disse.

Humberto Jacques afirmou ainda que, atualmente, não há critérios claros e objetivos para a escolha desses procuradores, definida, segundo ele, com base em “confiança e afinidade”.

Segundo ele, é uma característica própria de cargos e funções comissionados, mas que “não combina com o modelo institucional de um agente de execução do Ministério Público”.

“A transformação de atribuições em tarefas e a substituição de membros autônomos e inamovíveis por membros precariamente lotados longe de seus Ofícios naturais é estruturalmente uma subversão do modelo constitucional de Ministério Público.”

O vice-procurador defendeu que o Conselho Superior do Ministério Público Federal aumente o número de ofícios no Paraná de combate à corrupção, extinguindo unidades no interior ou investindo no Gaeco, grupo especializado com estrutura permanente para atuar contra o crime organizado.

Mais lidas
  1. Governo já pagou 1 bilhão por IFA de vacinas da AstraZeneca

  2. Sobra leite condensado, falta transparência do governo

  3. Apex tira do ar lista de livros com autoras críticas ao governo

  4. Biden anuncia compra de mais 200 milhões de doses de vacinas

  5. Governo federal gastou R$ 1,8 bilhão com alimentos em 2020

Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 45 comentários
TOPO