Vizinhança radioativa

“A confusão na Embaixada da Venezuela é o mais bem-acabado exemplo de como as crises nos países vizinhos podem ter consequências no Brasil”, informa a Crusoé.

“Um punhado de atitudes poderiam ajudar o Brasil a blindar-se da desintegração dos vizinhos. Em uma mensagem no Twitter, o presidente Jair Bolsonaro começou falando em forças externas, mas sem dar nomes aos bois. ‘Diante dos eventos ocorridos na Embaixada da Venezuela, repudiamos a interferência de atores externos’, escreveu o presidente. A acusação de que estrangeiros estão manobrando no jogo político nacional é grave e deve ser objeto de investigação. ‘O Brasil não pode permitir tal intromissão. Este é o momento de perguntar se a Polícia Federal, as Forças Armadas e a Agência Brasileira de Inteligência estão devidamente equipadas e fazendo o seu trabalho’, diz o advogado Luis Fernando Baracho, especialista em direito internacional.”

Leia a reportagem na íntegra:

Como Lula e o PT agem para incitar a baderna e fazer Bolsonaro sangrar até 2022. Mais aqui

Vizinhança radioativa

Comentários

  • AftasArdem -

    Será que não dá pra ver que ocorreu no Chile.

  • Claudio -

    O vocês gostam mesmo, e que ninguém comenta ( nem mesmo este site) , deve ser o MST e PT espancando as pessoas na porta. Correto é apanhar dos petebas e pedir mais. Todo mundo , no fundo, deve ao

  • Neto -

    O primeiro a apoiar a baderna na embaixada foi o deputado Eduardo Bolsonaro, irresponsavelmente. É fácil o Bolsonaro descobrir o enredo da trama. Se quiser, não?

Ler 12 comentários