Você acha que o Brasil é uma nação de verdade?

Há um ano, publiquei na Crusoé um artigo intitulado “O que é uma nação”. O mote foi a notícia de que Dilma Rousseff havia sido recebida na Sorbonne, em Paris, como “ilustre cidadã”. Deixe-se a petista para lá —  o que interessa, principalmente neste 7 de setembro, é o que um ilustre cidadão de verdade, o francês Ernest Renan, disse na mesma Sorbonne, em 1882, sobre o conceito de nação, assunto do meu artigo:

“Uma nação é, assim, uma grande solidariedade, constituída pelo sentimento de sacrifícios que fizemos e daqueles que estamos ainda dispostos a fazer. Ela supõe um passado; ela existe, contudo, no presente por um fato tangível: o consentimento, o desejo claramente expresso de continuar a vida em comum. A existência de uma nação é um plebiscito diário, assim como a do indivíduo é uma afirmação perpétua da vida.”

A atitude de boa parte dos brasileiros e de nossos governantes durante a pandemia reforçou a minha impressão de que temos muito a fazer para constituir uma nação, apesar de formalmente sermos uma há 198 anos, quando nos tornamos independentes.

Eu o convido a ler o artigo na íntegra aqui e a refletir se, para você, o Brasil é mesmo um nação de verdade. Está aberto para não assinantes: 

Bom resto de feriado.

 

Leia mais: CENSURA À IMPRENSA: O EXEMPLO QUE VEM DO SUPREMO
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 109 comentários
TOPO