Voluntário da vacina de Oxford que morreu era médico e tinha 28 anos

O voluntário dos testes da vacina desenvolvida por AstraZeneca e Oxford que morreu era o médico João Pedro Feitosa, de 28 anos, formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro no ano passado, informa o G1.

Feitosa morreu na semana passada, no dia 15 de outubro, em decorrência de complicações da Covid-19.

A UFRJ divulgou uma nota lamentando a morte e informando que o médico estava “atuando na linha de frente no combate ao coronavírus nas redes privada e municipal de Saúde do Rio de Janeiro”.

Segundo a agência Bloomberg, Feitosa fazia parte do grupo de controle dos testes da vacina —aquele que recebe o placebo, e não o imunizante. A informação não foi oficialmente confirmada pela Anvisa.

Leia mais: Enquanto Brasília faz tudo errado, a Crusoé continuará fazendo o certo: fiscalizando o poder.
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 34 comentários
TOPO