Voto impresso levaria a "inferno gerencial", diz Barroso

Luís Roberto Barroso afirmou que a implantação do voto impresso, como quer Jair Bolsonaro, seria um “inferno gerencial”, com judicialização dos resultados apurados nas urnas eletrônicas.

“Não ter voto impresso é solução óbvia e natural para sistema que está funcionando bem. As pessoas mexem no time que está perdendo, não no que está ganhando”, afirmou.

A proposta de Bolsonaro, já declarada inconstitucional pelo STF, é que cada urna imprima um comprovante do voto de cada eleitor. Ele ficaria guardado na Justiça Eleitoral para eventual conferência com o voto registrado na urna eletrônica.

Barroso disse que, desde a reeleição de Fernando Henrique Cardoso, todos os presidentes da República foram eleitos pelo atual sistema, totalmente eletrônico.

“O Brasil é um país tão singular que até quem ganha reclama de fraude”, disse.

Mais cedo, Barroso simulou uma votação pelo celular, solução que está sendo estudada pelo TSE para as próximas eleições.

“Estou convencido de que exista forma segura de fazer, e de forma auditável”, afirmou.

Leia mais: A revista que fiscaliza TODOS os poderes e conta com os melhores colunistas do Brasil.
Mais lidas
  1. Bolsonaro contradiz governador do AM e alega que governo não foi informado de falta de oxigênio

  2. Médica de Rondônia ri de intubação de pacientes

  3. Bolsonaro: leite condensado é para 'enfiar no rabo' da imprensa

  4. Que coisa

  5. Neymar pai no 'churrasco de leite condensado'

Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 51 comentários
TOPO