Voto impresso “seria como comprar um videocassete”, diz Barroso

Voto impresso “seria como comprar um videocassete”, diz Barroso
Foto: Rosinei Coutinho/SCO/STF

O ministro Luís Roberto Barroso, presidente do TSE, disse que a implementação do voto impresso “seria um retrocesso, como comprar um videocassete”.

“Meu único incômodo com as urnas é o custo delas. Temos 500 mil, custa R$ 4,7 milhões. A cada eleição temos que trocar 100 mil delas”, afirmou em evento do Fórum Liberdade e Democracia.

A declaração do ministro ocorre dois dias depois de Jair Bolsonaro afirmar em live que vai “mergulhar” na Câmara e no Senado para voltar com o voto impresso nas eleições de 2022.

Leia mais: Assine a Crusoé e apoie a o jornalismo independente.
Mais lidas
  1. Bolsonaro contradiz governador do AM e alega que governo não foi informado de falta de oxigênio

  2. Médica de Rondônia ri de intubação de pacientes

  3. Bolsonaro: leite condensado é para 'enfiar no rabo' da imprensa

  4. Que coisa

  5. Neymar pai no 'churrasco de leite condensado'

Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 255 comentários
TOPO