Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Wagner Rosário diz que fiscal do contrato detectou erros na invoice

Apesar disso, Regina Célia de Oliveira declarou à CPI que a responsabilidade por detectar problemas era de Luis Ricardo Miranda
Wagner Rosário diz que fiscal do contrato detectou erros na invoice
Reprodução/TV BrasilGov/YouTube

O ministro Wagner Rosário, da Controladoria-Geral da União, disse há pouco que os erros na invoice [nota fiscal internacional] apresentada pela Precisa Medicamentos para importar o primeiro lote de 3 milhões de doses da vacina Covaxin foram apontados pela fiscal do contrato, Regina Célia de Oliveira, não pelo servidor Luis Ricardo Miranda, irmão do deputado federal Luis Miranda.

“Ele recebe um salário. Não tem que receber parabéns. A primeira ponta linha para conter irregularidades é o servidor. Quem detectou o problema não foi o servidor, mas a fiscal do contrato”, disse Rosário.

Apesar disso, durante o depoimento à CPI da Covid, Regina Célia de Oliveira declarou que a responsabilidade por checar erros na invoice era do setor de importação, área comandada por Luis Ricardo Miranda.

“Aceitei a declaração. Eu não chequei a invoice. Isso é competência da divisão de importação”, disse a servidora do Ministério da Saúde. “Em relação à minha função de fiscal de contrato, não vi nada atípico”, declarou Célia à CPI em 6 de julho.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO