Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Wajngarten nega decisão de Carluxo na campanha ‘Brasil não pode parar’

Ex-Secom disse que estava 'internado em casa' na época da campanha, mas fez vídeo com Eduardo Bolsonaro dizendo que estava 'trabalhando normal'
Wajngarten nega decisão de Carluxo na campanha ‘Brasil não pode parar’
Foto: Reprodução/Tv Senado

Na CPI da Covid, Fabio Wajngarten foi questionado pela senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) se partiu de Carlos Bolsonaro a decisão de lançar a campanha “O Brasil não pode parar”. Ela leu reportagem da Época que relatava que o próprio Wajngarten propôs a campanha ao 02.

“De forma alguma, de forma alguma”, respondeu. “Nunca teve aprovação de ninguém e contato de ninguém”, afirmou em seguida, ao ser indagado se campanha partiu da Secom.

Antes, Wajngarten disse que a campanha não consta no rol de ações que executou na secretaria. Ele perguntou à senadora a data em que a campanha foi divulgada. Ela disse que foi em março de 2020.

“Primeira semana de março eu fui para os Estados Unidos com o presidente. E de lá fiquei internado em casa por causa da Covid”, respondeu Wajngarten.

Na época, porém, Wajngarten divulgou vídeo nas redes sociais numa conversa online com Eduardo Bolsonaro em que disse que estava trabalhando normalmente.

“Entendo também que a gente tomando todas as precauções, não será essa agonia que parte da imprensa vem veiculando. Eu sou a prova viva que mesmo testado positivo, a vida segue. Eu estou trabalhando normal, tenho feito calls com ministros, tenho feito calls com a Secom, tenho aprovado campanhas, tenho conversado com os criativos das agências de publicidade, então a vida segue”, disse, à época.

Leia mais: Assine a Crusoé e apoie o jornalismo independente.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO