ACESSE

"Wilson Trezza não vem para investigar, mas para proteger o CNMP", diz promotor

Telegram

A polêmica nomeação de Wilson Trezza como “colaborador eventual” do CNMP atende a pedido do conselheiro Marcelo Weitzel, presidente da Comissão de Preservação da Autonomia do Ministério Público.

Auxiliar de Weitzel, o promotor de Justiça Militar Nelson Lacava Filho diz que o papel do ex-diretor da Abin será de “segurança institucional”.

Em entrevista a O Antagonista, Lacava refutou informações de que Trezza teria como missão analisar equipamentos de gravação da força-tarefa da Lava Jato.

Segundo ele, “Trezza atuará na contra-inteligência, para evitar sabotagens e para garantir a proteção de promotores que sofrem ameaças”.

“Gostaria de esclarecer que a vinda dele não tem relação nenhuma com a Lava Jato. Ele vai orientar nosso trabalho em termos nacionais, como um consultor. Não vai fazer operação de inteligência, nada disso. Ele vai sanar uma carência que temos no que diz respeito à contra-inteligência e à proteção física dos nossos membros.”

“Trezza é um servidor de carreira, um oficial da Abin, um indivíduo que presta serviço ao Estado brasileiro há mais de 40 anos. Ele foi diretor da Abin no governo do PT porque era o mais capacitado.”

 

Foto: Agência Brasil

Leia mais: CENSURA A CRUSOÉ A PEDIDO DE UMA BOLSONARISTA

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 13 comentários