Witzel criou rachadinha da saúde com municípios, segundo denúncia do MPF

Witzel criou rachadinha da saúde com municípios, segundo denúncia do MPF

Segundo a Procuradoria-Geral da República, o governador afastado do Rio Wilson Witzel criou um esquema de rachadinha com repasse de verbas a municípios para investir na saúde. As cidades recebiam o dinheiro para os fundos municipais da saúde e “devolviam” 10% do valor a um dos grupos que pagavam propina a Witzel, segundo a denúncia da Operação Tris in Idem – que resultou no afastamento do governador.

De acordo com a denúncia, as quantias eram destinadas ao grupo político comandado por Pastor Everaldo, presidente do PSC, partido de Witzel.

O esquema de rachadinha foi revelado ao MPF pelo empresário Edson Torres, acusado de ser operador do grupo de Everaldo. Segundo o empresário, a Secretaria de Saúde planejou transferir R$ 600 milhões aos fundos municipais de saúde para que o montante entrasse no cálculo do valor mínimo constitucional a ser aplicado na área.

De acordo com a denúncia do MPF, a intenção era superfaturar obras em algumas cidades para que o lucro fosse revertido para o núcleo comandado pelo presidente do PSC.

Edson Torres disse ainda que ele e outros integrantes do grupo participaram de reuniões sobre o envio de dinheiro aos municípios de Petrópolis, São João de Meriti, Paracambi e Itaboraí. Ele também disse que as prefeituras de Magé, Saquarema e São Gonçalo retornaram verbas ao grupo, mas não citou nomes.

O empresário prestou depoimento ao MPF voluntariamente, depois de ver seu nome envolvido na operação. A denúncia é assinada pela subprocuradora-geral da República Lindôra Araújo e foi oferecida ao ministro Benedito Gonçalves, do STJ.

 

Leia mais: Combo Crusoé e O Antagonista+: comece a ler por apenas R$ 1,90
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 7 comentários
TOPO