Witzel quer voltar ao cargo pelas mãos de Gilmar

A defesa de Wilson Witzel pediu hoje a Rosa Weber que transfira de Edson Fachin para Gilmar Mendes um pedido para que ele volte ao cargo de governador do Rio de Janeiro.

Os advogados dizem que Gilmar Mendes é o relator na Corte de fases anteriores da Lava Jato do Rio — operações Calicute, Eficiência, Fatura Exposta e S.O.S. — que investigaram esquemas de corrupção no Rio de Janeiro na Secretaria de Saúde do governo de Sérgio Cabral.

“Ora, se o d. Juízo da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro [Marcelo Bretas] reconheceu sua competência também para a Operação Favorito pela conexão instrumental com as operações Fatura Exposta e S.O.S., seria incoerente e padeceria de razoabilidade e segurança jurídica que, nessa col. Suprema Corte, os feitos relativos à Operação Placebo tivessem relatoria diversa”, diz o pedido.

O habeas corpus chegou ao STF no dia 14 e foi distribuído por sorteio para Edson Fachin. Ele então enviou o caso a Luiz Fux por entender que Celso de Mello estaria designado para o caso, por ter analisado habeas corpus de Vinicius Peixoto, filho do empresário Mário Peixoto.

Luiz Fux, no entanto, se declarou suspeito para examinar o assunto e delegou a decisão sobre a redistribuição a Rosa Weber. A ministra então, mandou o HC de Witzel de volta para Fachin. Agora, a defesa pediu a ela para levar o caso a Gilmar.

Leia mais: OS ENCONTROS SECRETOS DE BOLSONARO COM O 'ANJO'
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 53 comentários
TOPO