ACESSE

Witzel rompe com a Iabas

Telegram

Wilson Witzel decretou o fim do contrato com a Iabas, a organização social contratada pelo governo estadual por até R$ 835 milhões para gerir os hospitais de campanha do Rio e alvo de investigações na Operação Placebo.

Na justificativa, o governador mencionou “fatos graves amplamente repercutidos na imprensa a respeito do atraso na montagem e deficiência de gestão dos hospitais de campanha”.

O Ministério Público Federal afirma que a Iabas é controlada por Mário Peixoto, suspeito de pagar propinas para obter contratos na saúde desde o governo de Sergio Cabral. A defesa do empresário nega e diz que suas empresas não têm contratos emergenciais ligados à pandemia.

No decreto, Witzel permite que a Fundação Estadual de Saúde assuma a gestão dos hospitais. A Secretaria de Saúde poderá aplicar sanções à organização social por prejuízos e pedir à Justiça bloqueio de bens.

Leia também: Centrão: aliado de Bolsonaro, Doria e Witzel

Comentários

  • ANTONIO -

    Kkk ... correu de medo ... sujou no dedo ... Kkk

  • ROSEMAR -

    Hospitais de campanha não foram construídos para funcionar. Imaginaram que não precisariam ser usados e armaram só a lona sem “recheio”. Deu errado, precisou e a cobrança surgiu,a tramoia foi exposta.

  • Marcelo -

    Witzel não compactua com corrupção, logo, logo tudo será esclarecido e que não passa de perseguição política contra ele!

Ler 23 comentários