Xeque perpétuo

Para salvar o rei, o PT está disposto a sacrificar a rainha.

Foi o que dissemos ontem. É o que repetimos hoje.

Lula não é exatamente um Bobby Fisher, mas ele já sabe que, com José Carlos Bumlai na cadeia, só lhe resta um caminho: derrubar Dilma Rousseff e tentar arrancar um empate com um xeque perpétuo.

As mensagens de Rui Falcão recomendando a degola de Eduardo Cunha têm de ser lidas dessa maneira.

O Palácio do Planalto, porém, ainda resiste.

Ricardo Berzoini disse ao Estadão:

“Eu, se fosse presidente do PT, jamais orientaria uma posição e deixaria que cada um votasse de acordo com sua consciência”.

E os deputados petistas do Conselho de Ética acrescentaram:

“Se ele acha que devemos votar de acordo com alguma orientação, ele que nos oriente, porque até agora não fez isso. Nunca fui convidado para nenhuma reunião no PT para deliberar sobre esse assunto”.

O Estadão disse também:

“Em conversas com Rui Falcão, nesta semana, Jaques Wagner e Berzoini disseram a ele que votar contra Cunha era o mesmo que acionar o gatilho do impeachment e jogar o governo no colo da oposição.

Falcão, por sua vez, afirmou que o desgaste de defender Cunha seria insuportável para o PT, num momento em que o partido tenta se livrar de escândalos de corrupção”.