ZELOTES NO RASTRO DOS R$ 4 MILHÕES

Ao descobrir que o valor total dos contratos do escritório Marcondes & Mautoni com a LFT Marketing Esportivo chega a R$ 4 milhões, o delegado Marlon Cajado ficou ainda mais desconfiado.

A investigação já havia identificado a quantia de R$ 4 milhões em conversas entre lobistas e documentos apreendidos com eles. O valor seria pago a “colaboradores” do governo petista para a aprovação da MP 471.

“Esse valor, como vem sendo comentado desde o início deste relatório, foi suscitado nos documentos produzidos pelo sócio da empreitada, ALEXANDRE PAES DOS SANTOS, como sendo o que tinha sido acertado para os ‘colaboradores’ do MAURO MARCONDES”, escreve Cajado.

Ele diz também o seguinte:

“Os pagamentos da MARCONDES E MAUTONI para a LFT MARKETING ESPORTIVO vinham ocorrendo normalmente e foram interrompidos em março de 2015, justamente o mês da primeira deflagração da Operação Zelotes ocorrida no dia 26/03/2015, portanto, é possível que o valor total acordado entre o MAURO MARCONDES e LUIS CLAUDIO LULA DA SILVA tenha sido realmente o montante de R$ 4.000.000,00 (quatro milhões de reais).”

Abaixo, várias anotações encontradas em manuscritos do lobista APS que tratam de pagamentos pela negociação da medida provisória.

O valor de R$ 4 milhões aparece em vários momentos, inclusive associado à anotação “Café: Gilberto Carvalho” e também ao valor de “2.500”, que para a PF é “R$ 2,5 milhões – coincidentemente a mesma quantia que Luís Cláudio recebeu de Mauro Marcondes na conta da LFT.

Faça o primeiro comentário