Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Zema diz não ser contra CPI, mas critica postura de senadores

Segundo governador de Minas, alguns parlamentares estão se "dedicando a pautas secundárias que dão holofote e palco"
Zema diz não ser contra CPI, mas critica postura de senadores
Foto: Gil Leonardi/Imprensa MG

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), disse não ser contra a CPI da Covid, mas criticou a postura de alguns parlamentares que estão se “dedicando a pautas secundárias que dão holofote e palco.”

 Em entrevista publicada no Estadão nesta quinta-feira (10), ele afirmou que, enquanto os parlamentares estiverem focados na comissão, as reformas estruturantes ficarão em segundo plano.

Não sou contra nenhuma investigação. Se a CPI está fluindo, ótimo. Que ela seja bem-sucedida e célere. O que eu questiono é que no Brasil já temos instituições aptas e estruturadas para fazer investigações. O parlamento pode fazer isso, mas tem atividades prioritárias, que são as reformas estruturantes. Enquanto ele ficar focado na CPI, é muito provável que as reformas fiquem numa marcha reduzida. Muitas vezes, acontece infelizmente em vários parlamentos, seja em nível municipal, estadual ou federal, que a classe política deixe de lado o que é relevante para se dedicar a pautas secundárias que dão holofote e palco.”

Alvo de uma CPI na Assembleia de Minas que investiga servidores que teriam furado a fila da vacina contra a Covid, Zema disse que “um governo transparente não tem o que temer”.

“Um governo transparente não tem o que temer. Entre os Estados da região Sudeste e Sul, Minas é o que tem a menor taxa de óbito na pandemia. Tivemos que pagar muitas dívidas do governo anterior, porque laboratórios e prestadores de serviço não estavam dispostos a fornecer o medicamento sem o pagamento atrasado. Pelo critério das contas públicas, esses atrasados não são considerados despesas correntes.”

Leia mais: Assine a Crusoé e apoie o jornalismo independente.
Mais notícias
TOPO