TOFFOLI: A DECISÃO… E A COINCIDÊNCIA

Caro leitor,

Três semanas antes de Dias Toffoli travar as investigações baseadas em dados do Coaf e da Receita, o Fisco começou a pedir explicações a empresas que contrataram os serviços do escritório da mulher dele.

A informação foi revelada pelos repórteres Fabio Serapião e Mateus Coutinho:

Leia um trecho da reportagem exclusiva:

O trabalho que busca esquadrinhar as operações financeiras do escritório da mulher de Dias Toffoli e as da mulher de Gilmar Mendes foi deflagrado por uma espécie de tropa de elite que a Receita criou no início de 2018. A ideia, já àquela altura, era olhar com lupa os dados tributários de agentes públicos e de pessoas ligadas a eles. Após filtrarem casos com indícios de irregularidades, os auditores selecionaram 134 deles. Na fase preliminar, estavam a ministra do Superior Tribunal de Justiça Isabel Galotti, Guiomar Mendes e Roberta Rangel. Quando o trabalho ainda se encontrava no começo, alguns dos relatórios produzidos vazaram, assim como a lista de alvos. Não demorou para que os próprios ministros estrilassem…

Conte com o jornalismo independente da Crusoé para conhecer a história completa, fazendo AGORA sua assinatura com uma condição especial. Clique no botão abaixo:

QUERO ACESSO AO JORNALISMO INDEPENDENTE AGORA


TOPO