A trama que os jornais não mostram por trás da eleição mais decisiva da história: querem esconder a verdade de VOCÊ

Caro leitor,

O PT não mede esforços para eleger o poste do presidiário.

Para isso, Haddad topou até beijar a mão de coronéis antes apontados como “golpistas” pelo seu partido.

 

Tal incoerência e oportunismo seriam surpreendentes, caso o partido em questão não fosse o PT.

Mas não deixam de ser repugnantes.

E mostram a gravidade da trama tecida nos bastidores para retomar o poder.

Isso torna o processo eleitoral ainda mais decisivo.

Não resta a menor dúvida que apenas um desses caminhos irá selar o seu destino pelos próximos anos:

1— Ou o país retoma as rédeas do crescimento, com a aprovação das reformas estruturais necessárias para resgatar a economia do limbo;

2— Ou retrocede à antiga matriz populista, responsável pelas atuais mazelas como desemprego, inflação, falência da indústria e total desajuste nas contas públicas.

Mas, apesar da importância histórica destas eleições, a imprensa não está falando toda a verdade para você.

Não espere até outubro para ser pego de surpresa.

Pense que diferença faria se todos estivessem vigilantes há exatos quatro anos.

Às vésperas da reeleição de Dilma Rousseff, em outubro de 2014, as verdadeiras intenções da ex-presidente não eram plenamente conhecidas.

E o resultado foi catastrófico:

O que Dilma prometeu em out/2014 Impacto na economia até o impeachment
Baixar a conta de luz Apagão e tarifaço
Retomada do crescimento O PIB despencou e chegou a 3,85% negativos
Controlar a inflação A inflação saltou de 6,40% para 10,67%
Não elevar juros A Selic chegou a 14,25%
Geração de emprego A taxa de desemprego cresceu 90%

Economia não admite experiências de laboratório. Erros cobram seu preço e as consequências podem se estender por gerações.

InfoMoney — outubro 2016

 

Depois será tarde para você se dar conta que não conhecia toda a verdade.

Em caso de guinada à esquerda —e por enquanto ninguém pode excluir essa hipótese—, há risco de retrocesso até mesmo nos avanços da Lava Jato contra a corrupção.

Blog do Josias de Souza — junho 2018

 

A volta à matriz populista é hoje uma possibilidade real que coloca em xeque os planos que você tem para si e sua família.

Desde uma simples viagem para fora que implica gastos em moeda estrangeira… até montar um negócio próprio que envolve a reforma trabalhista.

O resultado das próximas eleições pode representar um novo período de atraso na vida que estamos tentando recuperar desde o último impeachment.

Por isso, enquanto a imprensa dorme no ponto, cabe a você estar atento:

1) Assuma o controle. Político diz uma coisa e faz outra, você tem de ser mais crítico e selecionar ativamente suas fontes de informação;

2) Tenha acesso ao conhecimento. Ele está um passo adiante da notícia e só alguns são capazes de oferecê-lo;

3) Apoie família e amigos. Apenas com uma interpretação independente dos fatos teremos indivíduos aptos para escolher os melhores caminhos.

Apesar de a vigilância ser indispensável neste momento, o que a imprensa anda fazendo por você?

 

Não me refiro aos embates televisivos, à cobertura da agenda dos candidatos nem aos números das pesquisas divulgados à exaustão.

Eu me refiro à função primordial do jornalista de se manter vigilante. À vocação de denunciar o que estiver errado, doa a quem doer.

Millôr Fernandes tinha uma excelente definição para isso:

“Jornalismo é oposição. O resto é armazém de secos e molhados.”

Faltando praticamente 30 dias para as eleições mais decisivas da história da República, a imprensa NÃO está vigilante como deveria.

Pelo fato de que quase todos os políticos mentem — e omitem —, sempre se deve desconfiar deles. E os mais desconfiados deveriam ser os jornalistas.

Mas, analisando a imprensa brasileira de hoje, chego à conclusão que a balança pende bem mais para o lado dos poderosos do que para o lado dos inconformados.

Sou Mario Sabino, jornalista e escritor além de um inconformado por natureza.

Logo após cutucar o vespeiro do mensalão, na época em que eu era redator-chefe da revista Veja, precisei me retirar um pouco de cena.

Quando voltei, nada tinha mudado. Nem a velha política e muito menos o meu compromisso com a ética.

No Brasil atual, me sinto tão indignado quanto qualquer cidadão de bem.

Sei o que é perder o sono pensando nas contas domésticas e no futuro dos filhos, sem ao menos poder confiar nas instituições que deveriam nos representar.

E se digo que a imprensa está em dívida com a verdade é porque conheço bem o funcionamento dessa engrenagem.

Não se iluda.

A engrenagem continuará girando, mas depois de outubro será tarde para dizer que você não desconfiava de nada.

A propaganda governamental é um tipo de mensalão da imprensa.

Pense bem: a quem interessa encobrir os fatos?

Gente mal-intencionada possui ligações por toda a parte, inclusive na imprensa.

A pretexto de divulgar as suas realizações, concretas ou não, ministérios, secretarias e estatais gastam bilhões para comprar consciências e promover políticos.

Você precisa ficar atento aos bastidores da política, ao que acontece nas entrelinhas, ao que os poderosos estão tramando.

É aí que a verdade se esconde.

Dependendo do presidente eleito, o Brasil corre o risco de incorrer no fracasso dos últimos anos.

Eu sei que não é esse futuro que você quer para sua família, e não quero para a minha também.

Mas não conte com o velho modelo de imprensa para ser a sua voz.

Em geral, ela tem interesses próprios, que não são claros.

Por causa dessa falta de clareza, somos levados a deduzir que a imprensa jamais vai entrar numa briga com cachorro grande.

Entre as redações e os poderosos, a retribuição de gentilezas é bem mais comum do que você imagina.

Eu diria que a inércia convém ao velho modelo de imprensa.

Em alguns casos, é questão de sobrevivência.

O governo gasta verbas suntuosas de publicidade (leia-se dinheiro do contribuinte) em grandes jornais e revistas.

Não raro, empresas estatais ocupam anúncios de página dupla ou contracapa, que são os espaços mais caros da mídia impressa.

Fora a publicidade explícita, há o caso de pesquisas e publicações que, até a semana passada, não demonstravam constrangimento em tratar o presidiário como candidato à Presidência.

Ainda que Lula fosse inocente no caso do tríplex (é apenas um exercício de raciocínio…), condenados em segunda instância não podem concorrer e ponto final.

Está na Lei da Ficha Limpa, sancionada, quem diria, pelo governo Lula em 2010.

Ladrão é ladrão. A pergunta é:
A lei vale para todos ou alguns estão acima dela?

Se a lei vale para todos, tratar o condenado como candidato só ajuda pessoas de má fé a manipularem o eleitorado desprotegido.

E o que faz a imprensa?

Segue o embalo de reportar intenções de voto para Lula quando deveria abordar temas contundentes, ainda que incomodasse determinadas autoridades.

Por mais que a imprensa tente passar a imagem de independente, prefere se omitir a pisar o calo dos poderosos.

Existem excelentes profissionais, equipamentos de última geração e logística integrada. Mas você realmente acha que algum veículo de massa está a fim de arrumar animosidade com o governo?

Tome por base o escândalo envolvendo Dias Toffoli, revelado pela revista Crusoé ao final de julho último.

O futuro presidente do Supremo Tribunal Federal recebe de sua mulher uma mesada de R$ 100 mil, religiosamente depositados num banco de Brasília que não chama atenção. (Detalhe: a mulher do ministro do STF é dona de um grande escritório de advocacia de Brasília que alcançou o sucesso depois que o marido chegou ao topo do Poder Judiciário.)

Agência do Banco Mercantil em Brasília: escondida no 2o andar de um prédio comercial

 

O montante total desses repasses, no mínimo atípicos, já atingiu R$ 4,5 milhões. Além disso, a conta do magistrado é movimentada por um ex-bancário de confiança.

Ex-gerente de banco que virou assessor de Toffoli tem carta branca para movimentar conta

 

No meio jornalístico chamamos isso de “pauta-bomba”.

Invariavelmente, quando uma pauta dessas explode, toda a imprensa repercute.

Foi assim quando estourou o escândalo do Mensalão, em 2005.

Mas a mesada de Toffoli, revelada pela Crusoé, não teve o mesmo tratamento.

Então, deixe-me esclarecer a gravidade da situação e por que você corre o risco de ser sumariamente enganado às vésperas das eleições.

Estou afirmando que, diante de provas documentais e fotos levantadas pela revista Crusoé — e aqui faço questão de reforçar as evidências físicas em detrimento de qualquer boataria infundada—, o futuro representante máximo da Justiça no país não se pronunciou a respeito.

Toffoli não confirmou, tampouco desmentiu.

E a grande imprensa fez o quê? Vista grossa.

Com exceção de uma pequena nota em um jornal, não se leu uma notícia a respeito da mesada do ministro nos diários ou revistas.

Você leu? Se leu, me corrija enviando um print, por favor.

Simplesmente a imprensa se manteve omissa, como se um juiz do Supremo receber 100 mil reais por mês, na surdina, fosse a coisa mais normal do mundo.

Melhor ser conivente ao invés de arrumar dor de cabeça com os poderosos.

Com isso, infelizmente quem perde é você.

Não deixe para cair em si depois de outubro.

A imprensa publica notícias sem a profundidade necessária para você tirar conclusões úteis.

Se todos querem manipulá-lo, aprenda a se blindar.

Omitir, a meu ver, também é uma forma de manipulação.

Especialmente quando se tem uma campanha presidencial em andamento e uma rede de interesses por trás de cada passo.

Embora você busque sempre as melhores informações, está quase impossível ter acesso à notícia completa, com uma interpretação contextualizada e isenta de vieses o suficiente para balizar as suas decisões.

Seja qual for o partido, o parlamentar ou o político corrupto da vez, você precisa de um conteúdo capaz de expor a verdade com clareza.

A imprensa no Brasil está acomodada, ao contrário dos políticos desonestos que não param de inventar expedientes para benefício próprio.

Mas agora você pode se colocar um passo adiante.

Finalmente terá conhecimento do que ocorre de fato, baseado em provas textuais.

Terá ajuda para nortear seus rumos, seja qual for o resultado destas ou de outras eleições.

Terá uma visão independente sobre política que o represente à altura.

Quero que você conheça um refúgio seguro, uma ilha de independência no jornalismo:

Toda sexta-feira é dia de Crusoé, a primeira revista em formato totalmente digital sobre os bastidores da política no Brasil.

Na última semana de julho, enquanto Crusoé publicava matéria exclusiva sobre a mesada suspeita do ministro, outros jornais e revistas não divulgaram uma só linha a respeito.

Nem nos dias seguintes…

Nem nas semanas seguintes…

A história da mesada mal explicada foi apenas uma das reportagens que os assinantes da Crusoé conheceram em primeira mão.

E hoje convido você a fazer parte desse grupo altamente bem informado sobre os rumos do país.
Em 30 anos de jornalismo colecionei admiradores e sobretudo desafetos, por causa do meu compromisso com a ética.

Há três, fundei o site O Antagonista com Diogo Mainardi, um velho conhecido seu que compartilhava das mesmas ideias (e desafetos) que eu. Foi assim que dois fantasmas do jornalismo impresso começaram a assombrar o jornalismo on-line.

Diogo e eu: velhos parceiros para um novo projeto

Na trincheira de O Antagonista, temos uma equipe que atua contra a corrupção produzindo mais de 100 notas diárias.

E continuaremos fazendo esse trabalho, acessível a todos que buscam um conteúdo rápido e preciso.

No entanto a turbulenta conjuntura eleitoral, somada ao posicionamento moroso da imprensa, exigia um esforço maior.

E assim nasceu a primeira revista digital sobre os bastidores da política brasileira.

Sem o fardo do impresso, Crusoé ganhou a agilidade que nos permitiu chegar a 18 edições questionando os poderosos como nenhum outro veículo teve coragem de fazer.

A equipe da Crusoé é formada por jornalistas premiados para os quais não existe ninguém acima da lei.

O comando da revista está a cargo de Rodrigo Rangel, editor-executivo da Veja em Brasília até o início deste ano.

Rodrigo ganhou três prêmios Esso e foi autor de algumas das reportagens mais impactantes sobre a Operação Lava Jato.

Com seu rigor jornalístico, contribuiu para colocar na cadeia o ex-ministro José Dirceu, o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, o ex-governador do Rio Sérgio Cabral, o ex-presidente Lula e muitos outros políticos corruptos.

Sob sua direção, estão Filipe Coutinho (ex-BuzzFeed), Caio Junqueira (ex-Estadão), Eduardo Barretto (ex-O Globo) e Igor Gadelha (ex-Estadão).

O time da Crusoé: Rangel, Coutinho, Junqueira, Barretto e Gadelha

A missão dessa equipe é examinar a fundo os bastidores do cenário político nacional.

Questionar com total independência.

Fruto de anos de apuração, a matéria da mesada é um exemplo do compromisso de sermos vigilantes.

Muito maior do que um simples caso familiar de transações financeiras entre marido e mulher, o trabalho reuniu fontes, documentos, processos e fotografias. Foram consultadas 42 ações judiciais (muitas com centenas de folhas).

Tudo com o objetivo de reunir fatos, dados e bastidores para denunciar acontecimentos importantes com requintes de exatidão.

Sabemos que os assinantes da Crusoé não admitem ser enganados, tanto que eles mesmos discordam da postura geral da imprensa.

Da mesma forma que os assinantes da Crusoé, você pode agora ter acesso aos bastidores da política e à interpretação que dá sentido aos fatos.

Vivemos em um país tão bagunçado que regras firmadas ontem podem não valer amanhã.

Assina-se uma sentença e, de repente, algum poderoso dá uma canetada. Ou entra com um recurso. Ou arruma um desembargador para o plantão do fim de semana.

Mas com a Crusoé, você se coloca um passo adiante.

Não será mais surpreendido quando amigos ou familiares falarem de política.

Em vez disso, é a sua opinião que eles desejarão ouvir.

Apenas com liberdade de imprensa teremos cidadãos aptos a construir uma sociedade melhor.

E por isso a Crusoé não aceita — e jamais aceitará — publicidade de governos, estatais e companhias privadas implicadas em esquemas de corrupção.

Na revista não entra publicidade dos Três Poderes, em nenhuma das três esperas, seja federal, estadual ou municipal.

Empresas envolvidas em fraude também estão vetadas, ainda que ofereçam acordos polpudos.

O valor mais importante é arrematado pelo leitor da Crusoé. Com independência editorial, podemos lhe assegurar uma visão isenta de partidarismo.

Eu digo isenta, porque Crusoé não pode ser considerada imparcial.

Nós estamos deliberadamente ao seu lado, com coragem para falar o que você pensa.

Em menos de quatro meses, Crusoé reuniu um contingente de 40 mil assinantes até então órfãos de um jornalismo investigativo de qualidade.

Enquanto outras revistas, jornais e sites permaneciam reféns das abordagens superficiais, Crusoé publicou 18 edições de maio até agora e mais de 700 notícias na seção Diário, que se mantém vigilante sobre Brasília de segunda a domingo.

Quero que conheça algumas dessas revelações contundentes e exclusivas:

11 de maio — a revista elenca as empresas que deram milhões de reais ao instituto de direito do ministro Gilmar Mendes, mas tiveram seus nomes ocultados da lista de patrocinadores. Todas as companhias têm causas tramitando no STF.

25 de maio — A seção Diário de Crusoé noticia a insólita sociedade de Pedro Parente, então presidente da Petrobras, com o presidente de um banco credor da estatal. O banco recebeu o dinheiro de um empréstimo à empresa quatro anos antes do prazo estabelecido em contrato.

10 de agostoCrusoé detalha como o ex-presidente Lula dá as cartas de dentro da cadeia, na tentativa de atrapalhar a disputa presidencial da qual está excluído.

Nossos assinantes reconhecem e valorizam a linha editorial independente da revista.

Em nome da equipe de Crusoé, agradeço a todos pelo apoio e asseguro desde já que NÃO vamos nos omitir.

Certamente que não temos interferência direta sobre o funcionamento dos Três Poderes.

Mas se existe uma solução que podemos garantir, é manter essa gente sob incansável vigilância.

É o que nos comprometemos a fazer 24 horas por dia, não importam os níveis hierárquicos ou partidos.

A Crusoé se posiciona do outro lado do balcão, do lado dos escrutinadores, do lado de quem cobra ação e eficiência dos governos:

— Cumprindo a missão de manter independência editorial;

— Mostrando o que imprensa brasileira se omite de mostrar;

— Revelando o que os poderosos tentam esconder.

O trabalho de vigilância da Crusoé ajuda você a focar no que realmente importa, sem rodeios.

As reportagens publicadas já foram o suficiente para tirar os envolvidos da zona de conforto.

As revelações sobre a mesada do ministro do STF deram fôlego a um pedido de impeachment de Dias Toffoli no Senado.

É uma medida que serve para provocar os senadores encarregados de gerenciar as denúncias.

A Crusoé está fazendo sua parte.

Em relação à Petrobras, sempre aplaudimos a faxina que Pedro Parente fez na estatal. Mas isso não o eximiu de questionamentos éticos.

As reportagens publicadas na Crusoé sobre as ligações entre companhias com negócios com a estatal e seu então presidente resultaram no pedido demissão de Parente.

Continuaremos vigilantes por nossos leitores não importa o cargo, escalão ou hierarquia.

Você gostaria de se juntar a nós?

Ficaremos honrados com seu interesse.

Como ter acesso aos bastidores que você não vê na imprensa tradicional.

A partir de agora você não terá de vasculhar todos os jornais, sites, revistas ou programas televisivos para selecionar as informações que interessam.

Na Crusoé priorizamos o que realmente importa: manobras que podem alterar o curso da nação e atrapalhar seu trabalho ou seus negócios.

Fazer as apurações, checar a veracidade, analisar dentro do contexto e entregar tudo isso para você de forma compreensível demanda um trabalho especializado.

Por isso o conteúdo da Crusoé é exclusivo para assinantes.

Essa também foi a maneira que encontramos para manter uma linha editorial sem rabo preso com ninguém.

Com a temperatura política em ebulição, Crusoé vai ser útil pelos motivos a seguir:

1) Uma equipe de especialistas só para você

Crusoé está estrategicamente sediada onde tudo acontece.

Nossos editores e repórteres acordam para tomar café com os principais atores do cenário político brasileiro.

A equipe está infiltrada nas várias camadas do poder com indiscutível competência. Garanto que você não encontrará uma conexão mais direta do que essa com Brasília.

2) Análise completa, e não apenas factual

Não adianta saber os fatos se você não tiver a correta contextualização deles.

Na Crusoé, a equipe apura os acontecimentos, busca provas e lhe oferece uma interpretação coesa, revelando os verdadeiros interesses dos poderosos.

Se houver sintomas de febre, seremos os primeiros a senti-los, da mesma forma que detectaremos os primeiros sinais de recuperação.

E tudo será repassado a você imediatamente, para que tenha em mãos a melhor análise sobre política.

3) Sabedoria de valor a um custo irrisório

Menos de R$ 0,50 por dia. É o que você pagará por nossas ideias sobre política em vez de perder tempo e dinheiro com preocupações.

Ninguém atarefado como você precisa dispender horas tentando se informar, se beber direto na fonte da Crusoé.

Nem se preocupar com os diversos impactos sobre seus negócios, emprego ou investimentos se tiver por trás de si a sabedoria que ajuda a tomar decisões coerentes.

Você pode fazer da Crusoé um tipo de assistente pessoal. E pagando irrisórios R$0,43 por dia.

Diante de tudo o que viu até aqui, preciso perguntar:

Você está disposto a conhecer a verdade total?
Você faz questão de que político corrupto vá para a cadeia?
Você deseja um país mais ético para seus filhos e netos?

Se a sua resposta é SIM, tudo o que você precisa é assinar Crusoé agora mesmo.

Não haverá obstáculo capaz de impedi-lo.

Basta querer adentrar aos bastidores da política.

O trabalho mais pesado fica por conta da equipe de Crusoé.

Cada brasileiro tem o dever cívico de se tornar vigilante.

É com isso que podemos ajudar você: mantendo os poderosos sob vigilância dia após dia, sem descanso.

Você terá uma visão independente do que se passa nos meandros da política por meio de reportagens e artigos opinativos.

E assim estará um passo adiante da imprensa, porque somente as páginas da Crusoé traduzem a vocação original do jornalismo político.

Toda sexta-feira de manhã, você receberá uma nova edição de qualidade e agradável de ler:

– Reportagens investigativas sobre os temas políticos mais relevantes do momento;

– A coluna provocadora do Diogo Mainardi, que volta a ser publicada depois de 8 anos;

– A minha própria coluna, que revela bastidores da imprensa e relaciona os fatos presentes com a história brasileira;

– Artigos especiais de autoria dos articulistas convidados;

– Entrevistas exclusivas com personalidades da cena nacional e internacional;

– O humor inteligente de Ruy Goiaba.

Além disso tudo, graças ao formato on-line, que permite acessar a revista de qualquer lugar e dispositivo, você permanece informado com as notas da seção Diário — apuradas em tempo real pelos editores e repórteres da Crusoé.

É assim que você estará a par das tramas armadas no Palácio do Planalto, Congresso, STF e qualquer instituição infectada pela corrupção.

Essa é a razão de existir da Crusoé.

Não omitiremos a verdade de você, por mais que determinados grupos se achem acima da lei e do escrutínio público.

Você sempre terá acesso aos bastidores do tabuleiro político que ninguém ousa mostrar.

E deve começar agora mesmo. Com o início da propaganda eleitoral e a inundação de informações pelas redes sociais, será muito difícil filtrar o que realmente interessa.

Quais são as intenções por trás dos movimentos dos poderosos?

Você pode se tornar uma presa fácil para eles.

Então, que tal dar uma resposta a quem pretende enganá-lo sem escrúpulo?

Torne-se assinante da revista Crusoé.

Restam poucos dias para as eleições e você não pode permanecer no escuro.

Aproveite agora mesmo os benefícios desta carta-convite.

Explico.

Quem faz a inscrição pelo site O Antagonista recebe 1 ano de assinatura ao custo mensal de R$ 19,90.

Esse é o preço oficial para manter toda a estrutura da Crusoé, garantindo a qualidade das informações.

Mas, em época de eleições, se torna ainda mais importante ter o conhecimento necessário para não ser enganado.

Por isso, no site há uma oferta temporária em que o assinante pagará apenas R$ 14,90 por mês para receber a Crusoé semanalmente.

Só que você, leitor assíduo de O Antagonista, merece mais.

É justo prestigiar quem está ao nosso lado todos os dias, demonstrando sua lealdade.

Montamos uma condição imperdível aos interessados em assinar a Crusoé clicando nos botões a seguir.

Você não pagará as 12 parcelas de R$ 19,90.

Tampouco receberá uma cobrança mensal de R$ 14,90.

O preço para quem assinar agora a revista digital Crusoé será de 12x de R$ 12,90.

 

Penso que lhe devo mais um incentivo.

Além da melhor ferramenta de vigilância sobre os poderosos, consegui um benefício extra para você.

Trata-se da Reunião de Pauta Especial, com Diogo Mainardi, Rodrigo Rangel, diretor de redação da Crusoé, e comigo.

Esse conteúdo em vídeo certamente contribuirá para apurar seu senso crítico.

Porque todo debate traz à tona interpretações que podem ser valiosas no dia a dia. E que, a partir daí, estimulem o desenvolvimento da sua própria concepção sobre os problemas que afligem o Brasil.

Mas você não precisa pagar nada para assistir aos vídeos. É um presente meu para você.

Basta aproveitar essa condição única por meio deste link ou dos botões abaixo.

QUERO VALIDAR MEU ACESSO AOS BASTIDORES DA POLÍTICA NACIONAL

Vamos checar tudo o que você irá receber ao assinar a Crusoé:

Acesso imediato e completo à revista

Toda sexta-feira uma nova edição com reportagens especiais, entrevistas com personalidades da cena nacional e internacional e a coluna provocadora de Diogo Mainardi, dentre outros destaques.

Além disso, você será informado diariamente sobre as principais tramas armadas em Brasília pelas atualizações on-line na seção Diário.

Bônus exclusivo:
Reunião de Pauta Eleições 2018

São dois vídeos complementares a partir dos quais você saberá tudo sobre a Crusoé, os principais furos da revista e detalhes da cobertura eleitoral. Acesso gratuito exclusivo para você.

Tudo isso será seu imediatamente.

Entretanto, após ter acesso a todo o conteúdo da sua área de assinante, o que acontece se você não se identificar com a Crusoé?

Em até 7 dias após a assinatura, você pode enviar um e-mail e solicitar o cancelamento da assinatura com reembolso de 100% do valor pago.

Significa que você pode conhecer a Crusoé sem qualquer preocupação, o compromisso é nosso.

É assim que se faz jornalismo com transparência para o assinante.

Falta pouco para o próximo presidente desfilar em Rolls Royce pela Esplanada dos Ministérios rumo ao Palácio do Planalto.

O cenário por enquanto não nos permite ver seu rosto.

Caminhamos no desconhecido, perante um futuro opaco e sem luminosidade.

Mas, apesar de transitar no escuro, não deixe que lhe tirem a luz da razão.

Por menos de R$ 0,50 por dia, você receberá a Crusoé da semana:

–Reportagens investigativas sobre os temas políticos mais relevantes do momento;

–A coluna provocadora do Diogo Mainardi, que volta a ser publicada depois de 8 anos;

–Uma coluna assinada por mim, Mario Sabino, com bastidores do jornalismo e passagens

de história do Brasil;

–Artigos especiais de autoria dos articulistas convidados;

–Entrevistas exclusivas com personalidades da cena nacional e internacional;

–O humor inteligente de Ruy Goiaba.

Crusoé quer ajudá-lo a se livrar dos corruptos que atrasam o país e nos mantêm isolados do mundo moderno.

Você e sua família finalmente estarão fortalecidos contra a ingerência do governo em suas vidas.

Espero você do lado dos inconformados.

QUERO TER ACESSO AO ÚNICO JORNALISMO INDEPENDENTE DO PAÍS

Um abraço.

Mario Sabino
Publisher

TOPO