A ostra de Napoleão

Assim como Michel Temer, o ministro Napoleão Maia Filho é poeta.

Um dos seus poemas intitula-se “A ostra”:

“Esconde-se na sua intimidade
a cintilação da pérola furtiva
e oculta o brilho e a fecundidade
de tudo que por ela se principia.

É campo, área e vazante
úmida, fértil e macia
com as águas dóceis e murmurantes

de um túrgido rio que se anuncia.”

Faça o primeiro comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200